Culturas
Cultura africana
Cultura asteca
Cultura chinesa
Cultura egípcia
Cultura grega
Cultura inca
Cultura indiana
Cultura maia
Cultura portuguesa
Cultura romana
Cultura japonesa


Cultura asteca

Cultura AstecaDe forma geral, chamamos Astecas aos habitantes dos territórios conquistados por Fernando Cortez, aplicando-os portanto esse termo não apenas aos próprios Astecas mas também aos Mexicanos.

Os Astecas fundaram a cidade de México, onde se estabeleceram. A cultura Asteca se caracteriza por serem bons na administração, eles dividiam o seu território em 38 províncias tributárias e a sua organização social era uma estratificação piramidal.

No alto desta pirâmide se encontravam os Nobres e os Sacerdotes. Depois destes, estavam os mercadores e os guerreiros. Por último, na base da pirâmide, se encontravam os lavradores e depois os escravos.

Os principais cultivos que os Astecas praticavam eram o milho, a fruta, o tabaco e a pimenta. Os Astecas falavam uma língua chamada nahuatl. A escrita misturava pictogramas, ideogramas e símbolos fonéticos. Nas suas escritas reflecte-se a sua própria história, geografia, economia, religião, etc.

Alguns códigos perduraram ao longo do tempo como é o caso do Códice Bourbônico. Trata-se de um livro-calendário com duas partes, a primeira, um livro dos destinos, chamado tonalamlt e a segunda as festas dos meses xiuhpohualli.

Na sociedade Asteca, o imperador tinha poder ilimitado, que abrangia todas as coisas e todas as pessoas. Junto a ele, os guerreiros e sacerdotes formavam o grupo social de maior poder. Os guerreiros eram o principal apoio do imperador e permitiu a criação de um império muito poderoso mas isolado politicamente.

No plano sexual, apenas existiam duas formas de relações sexuais permitidas: as que tinham lugar dentro do matrimónio e as dos guerreiros soltarios com sacerdotisas dedicadas à prostituição ritual. Estas últimas se consideravam que estavam protegidas pela deusa Xochiquétzal. Estas relações sempre se mantinham antes de os guerreiros partirem para a batalha. O adultério, por outro lado, era severamente castigado.

Cada aspecto da vida sexual estava associado a um deus diferente. Outro aspecto fundamental da vida quotidiana dos Astecas era a da educação, que era obrigatória, apesar de com diferenças segundo o sexo.

Para os rapazes havia 2 tipos de escola: a telpochcalli e o calmecac. O primeiro se estudava na escola mas se ia dormir em casa à noite e o segundo era uma espécie de externato reservado apenas para os nobres.

As raparigas pelo contrário eram educadas pelas suas mães em casa para realizar as tarefas da casa. Apenas as nobres podiam ir aprender numa espécie de mosteiro onde viviam até ao momento do matrimónio.

Nesta educação, a religião tinha um papel importante, mas também se aprendia escritura, leitura, história e música.




 
Contacte-nos Condições de uso